2 jul

Há algum tempo a inadimplência é assunto recorrente em quase todas os nichos do Brasil. Crise econômica, desemprego, taxas e impostos cada vez mais altos, falta de controle e muitos outros fatores podem ser citados para explicar este momento.

O fato é que, a inadimplência está presente em praticamente todas as empresas…e o pior é que não há a menor previsão para o fim disso. Sendo assim, as empresas precisam aprender a lidar com o problema e evitar que ele prejudique sua saúde financeira.

Para ajudar neste processo, falaremos sobre os riscos da inadimplência no âmbito empresarial, sobre como lidar com a questão diminuindo seus impactos, e claro, sobre como evitar que o problema afete sua empresa.

 

Quais os riscos da inadimplência para o seu negócio?

Antes de mais nada, precisamos entender os riscos que a inadimplência oferece para os negócio.

De maneira sucinta, podemos dizer que se uma empresa não recebe pelo serviço prestado ou produto vendido, ela não apenas perde seu lucro, como ainda se vê obrigada a custear os valores operacionais, os insumos e até mesmo os custos indiretos (como luz, água, aluguel, etc). Ou seja, com o aumento do número de inadimplentes, a empresa passa a atuar no vermelho, afinal, o balanço financeiro entre entradas e saídas passa a ser negativo.

A partir daí, começa um círculo vicioso que tende a levar a empresa a falência. Isso porque com a crescente da inadimplência e o tempo em que a empresa atua no vermelho, torna-se impossível repor estoques, pagar fornecedores, conseguir empréstimos, fazer promoções e assim por diante.

Então, como consequência, o inadimplente passa a ser a própria empresa, que precisa tomar ações como trabalhar com matéria prima de baixa qualidade, demitir funcionários, mudar o local da empresa para bairros menos estratégicos e mais baratos, ou até mesmo, fechar suas portas.

 

Como lidar com a inadimplência e diminuir prejuízos?

Conforme falamos no começo deste artigo, atualmente não existe um cenário possível onde a inadimplência acabe, por isso, é preciso saber lidar com ela da melhor maneira possível.

Sendo assim, é fundamental, antes de mais nada, prever o calote. Para isso, o setor financeiro precisa calcular a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidoso (PCLD), que nada mais é que um cálculo realizado para prever possíveis perdas. Aqui são considerados os fatores de risco que podem levar cada cliente a não efetuar o pagamento. Com um PCLD bem calculado, a empresa deixa de gastar mais para evitar que fique no vermelho no balanço final.

Outra ação que se mostra bastante eficiente é o acompanhamento periódico dos valores a receber. E aqui vale dizer que a periodicidade está diretamente ligada ao tamanho do problema (muitos inadimplentes e valor alto, acompanhamento quase que diário, poucos inadimplentes e valor baixo, acompanhamento semanal ou quinzenal).

Entender a motivação para a falta de pagamento é algo que também tende a ajudar. Desta forma, é possível buscar uma solução para facilitar o recebimento ou até mesmo ter insumos para considerar na confecção do PCLD.

Por fim, é importante ter um sistema de cobrança eficiente, onde datas sejam rigorosas cumpridas. Além disso, é fundamental que as pessoas ligadas ao sistema de cobrança conheçam o histórico de cada cliente (sendo mais eficiente quando uma única pessoa cobra cada cliente) e sejam focadas no recebimento, ainda que para isso tenham que ser mais maleáveis (é melhor fazer um acordo, onde por vezes demora mais para receber o valor completo, do que não receber).

Como evitar a inadimplência?

Embora seja praticamente impossível acabar com a inadimplência, as empresas podem buscar soluções para diminuir o número de devedores no seu negócio. Para isso, citaremos seis ações que se mostram eficientes nesta tarefa. Veja:

  1. Análise de crédito

Em primeiro lugar, é preciso conhecer o cliente antes de lhe oferecer crédito. Aqui, é possível verificar o histórico de pagamentos de cada cliente, desta forma, caso ele seja um mal pagador, a venda é feita somente à vista.

Esta prática, embora seja controversa para alguns gestores (que acreditam que suas vendas podem diminuir), tende a reduzir as chances de calote e ajudar na previsão dos números da empresa.

  1. Créditos progressivos

Outra ação que nem toda empresa realiza é a adoção do crédito progressivo. Em outras palavras, cliente novo e sem histórico de pagamento recebe menos crédito que cliente de longa data e que sempre honra seus dividendos. Essa prática é ótima para entender o perfil de cada cliente sem que o fluxo de caixa da empresa seja penalizado.

  1. Condições personalizadas

Pegando um gancho no item acima, a criação de condições personalizadas, ainda que muito usada, traz certa polêmica. Isso acontece porque tende a bonificar aqueles que já possuem uma condição financeira melhor. A questão é que a personalização das condições não somente evita a inadimplência como ainda aumenta as vendas.

Sendo assim, clientes que compram em grandes quantidades, periodicamente e que honram seus pagamentos acabam tendo melhores condições que aqueles que, ainda que honrem seus dividendos, realizam compras menores ou em períodos mais espaçados.

  1. Bonificação dos bons pagadores

Hoje em dia é difícil ter cliente considerado bom pagador, exatamente por isso, é benéfico que eles sejam premiados de alguma forma. Por ter a certeza do pagamento, por vezes, é melhor oferecer prazos maiores ou até mesmo descontos e conseguir prever a entrada do dinheiro no fluxo de caixa, do que ser rígido e correr o risco de perder o bom cliente para a concorrência.

  1. Contratos

Acreditamos que esta seja a única das dicas que todo mundo conhece. Se munir de contrato oferece maiores garantias do recebimento de valores, ainda que em juízo. O problema é que ainda existem muitas empresas que não trabalham com mais esta segurança e acabam ficando desprotegidos.

  1. Tecnologia

Por fim, mas não menos importante, conte com a tecnologia a seu favor.

Sistemas de Gestão Integrada (ou ERP), são extremamente eficientes no processo de controle e diminuição da inadimplência no cenário empresarial. Isso porque com ele é possível controlar todas as entradas e saídas, as condições oferecidas, o histórico de interações desde a venda até as cobranças e assim por diante.

 

Bom, embora tenhamos procurado oferecer insumos para que a inadimplência nas empresas não ofereçam um grande impacto, o que fica cada vez mais claro é que com controle e gestão em tempo real, é infinitamente mais fácil evitar que o problema se torne uma bola de neve. Para isso, a tecnologia é sempre a maior aliada, e nós podemos ajudar…

Ebook - Gestão Financeira - TENHA TOTAL CONTROLE DA GESTÃO FINANCEIRA DA SUA EMPRESA - BAIXE AGORA, É GRÁTIS

Avatar
SOBRE O AUTOR
Renato Souza – Diretor Comercial da PROX

Profissional especialista nos processos administrativos de controladoria com passagem pela TOTVS SA onde se especializou nas áreas fiscal e contábil. Atuou também em outras consultorias de ERP como analista e coordenador de projetos de implantação de ERP.

Facebook LinkedIn Skype 

Fechar

Nós entramos em contato com você!

[_post_title]