Aumentando a presença digital dos negócios com low-code

Existe um equívoco comum de que as plataformas de low-code são mais adequadas para aplicativos simples, autônomos e sob medida.

Nada poderia estar mais longe da verdade.

Esses aplicativos podem ser o ponto ideal de certas plataformas no-code

Mas na área empresarial de low-code, é uma história completamente diferente.

Quais são, então, os principais usos dessas plataformas em empresas do mundo real como bancos, seguradoras e outras empresas de serviços financeiros?

Aqui estão as três principais:

Limpando o Backlog

À medida que as empresas de serviços financeiros prosseguem com suas iniciativas de transformação digital, o software torna-se cada vez mais estratégico e difundido – o que significa que elas precisam de mais.

E muito mais.

A demanda por aplicativos novos e atualizados e infraestrutura de software, bem como recursos e capacidades individuais, está crescendo rápido demais.

E, ainda assim, todas essas empresas têm recursos limitados, pois os profissionais que são capazes de construir e executar esses softwares estão em falta.

Enquanto isso, entretanto, essas empresas têm poucas opções, a não ser acrescentar à sua extensa lista de tarefas de software.

Esses backlogs, como a indústria os chama, podem ficar longos e incontroláveis – e as pressões da transformação digital combinadas com a perene escassez de habilidades só pioram esse problema.

Além disso, os backlogs tradicionais de codificação manual tendem a focar em tarefas e recursos individuais, enquanto as linhas de negócios que impulsionam a criação do backlog se concentram mais nos aplicativos.

Como resultado, muitas vezes há uma desconexão entre o que a empresa deseja e o que as equipes de desenvolvimento de aplicativos podem oferecer.

Como as plataformas de low-code focam em dar aos desenvolvedores profissionais a capacidade de criar aplicativos mais rapidamente, minimizando a necessidade de códigos manuais, os backlogs de desenvolvimento tradicionais se tornam menos sobre recursos e tarefas e mais sobre aplicativos.

Isso melhora tanto a produtividade e a moral dos desenvolvedores quanto o foco no cliente dos próprios aplicativos, ao mesmo tempo em que facilita a capacidade de adicionar esses recursos e tarefas após o lançamento dos aplicativos.

Com a melhoria da produtividade, ocorre a conclusão mais rápida dos aplicativos no backlog e, assim, muitas empresas estão descobrindo que o low-code é essencial para reduzir o tamanho do backlog, ou até eliminá-lo completamente.

Na verdade, os usuários de low-code tinham 12% mais chances de dizer que seu backlog havia melhorado no ano anterior, em comparação a pessoas que não estavam usando low-code, de acordo com o relatório The State of Application Development da OutSystems (conteúdo em inglês).

Demanda por aplicativos que dispensam a TI

A maioria das grandes e muitas empresas de serviços financeiros de porte médio possui processos formais para estabelecer os requisitos para novos aplicativos e solicitar à TI que atenda a esses requisitos.

Entretanto, em muitos casos, esses processos datam do século passado – e são, portanto, agonizantemente lentos e cheios de burocracia.

Do ponto de vista dos executivos da linha de negócios, muitos dos aplicativos de que eles precisam não se prestam a um processo tão oneroso e demorado.

Talvez a necessidade seja urgente demais, ou, em outros casos, a segurança subjacente ou a complexidade da integração não justifique seguir os procedimentos tradicionais de desenvolvimento de aplicativos.

No passado, esse desalinhamento de negócios/TI fez com que as linhas de negócios que se encarregam de criar aplicativos o fizessem fora do radar da TI.

Essa prática, entretanto, leva a uma série de problemas sistêmicos, incluindo aplicativos redundantes, de baixa qualidade, e violações de segurança e conformidade.

Plataformas corporativas de low-code como a OutSystems podem resolver este dilema, dando às linhas de negócios uma maior capacidade de solicitar novos aplicativos sem exigir que a TI siga todas as etapas dos processos do ciclo de vida do software agora obsoleto.

Esta abordagem, no entanto, não se caracteriza como uma prática que dispensa a TI.

A parte “corporativa” da história do low-code da empresa foca na segurança, conformidade e integração – aquelas áreas onde a TI ainda deve assumir para garantir que tais requisitos não-funcionais essenciais ainda estejam sendo cumpridos.

O resultado final é uma nova forma de organizar a relação entre linhas de negócios e TI, onde a TI capacita o negócio a assumir maior controle sobre a entrega de aplicativos cada vez mais flexíveis, mantendo o foco necessário na segurança, conformidade e integração que todos concordam ser tão importantes quanto sempre foram, especialmente em serviços financeiros.

Modernização Modularizada

Quanto maior a instituição de serviços financeiros, maior a probabilidade de que ela esteja sobrecarregada com uma carteira diversificada de aplicativos legados monolíticos.

Além disso, modernizar esses sistemas legados e substituir carteiras de aplicativos em massa por aplicativos novos e flexíveis é uma prioridade para essas organizações – mas uma meta que está amplamente fora de alcance.

Plataformas de low-code como a OutSystems podem tornar este objetivo uma realidade.

Passar de aplicativos legados e monolíticos para um moderno portfólio de aplicativos requer repensar sua arquitetura.

“Se você quer agilidade, você precisa quebrar sua arquitetura em partes menores e mais ágeis”, disse Paulo Rosado, CEO da OutSystems.

“Equipes totalmente autônomas e multidisciplinares podem pegar várias dessas partes e organizá-las em torno de objetivos como serviços”.

Como, então, uma equipe de desenvolvimento de low-code moderniza uma aplicativo legado monolítico?

Direcionando mudanças específicas de funcionalidade que os clientes finais exigem e substituindo essa funcionalidade por um software modular.

A modularidade tem sido uma boa prática de software há décadas, e uma forma moderna de modularizar um software é através da distribuição em forma de containers de microsserviços.

É simples implementar microsserviços de forma pouco codificada com OutSystems – mas microsserviços não são tudo.

A peça que falta: sem a arquitetura adequada, a implementação de muitos microsserviços leva a interdependências incontroláveis, explodindo a sobrecarga de gerenciamento e aumentando a fragilidade.

Esta abordagem arquitetada permite que as organizações de desenvolvimento implementem aplicativos corporativos complexos em escala – mesmo quando elas substituem ou interagem com aplicativos legados existentes.

O segredo para fazer esta abordagem funcionar é como a OutSystems lida com a mudança no contexto de módulos de software interdependentes.

A OutSystems fornece mudanças seguras e rápidas para uma arquitetura distribuída, apesar de ser difícil obter dependências complexas com microsserviços.

Desta forma, construir aplicativos com OutSystems é mais do que simplesmente construir aplicativos modulares e encadeá-los.

Também inclui a implementação de aplicativos empresariais complexos que consistem em muitos desses módulos – e fazendo isso de forma a suportar os objetivos do desenvolvimento de software moderno, resolvendo automaticamente interdependências complexas.

Conheça a Outsystems - Plataforma Low-Code

A opinião da Intellyx

Bancos, seguradoras e outras empresas de serviços financeiros há muito dependem da tecnologia como o núcleo de seus negócios.

Embora essa dependência impulsione seus relacionamentos com seus clientes e, em última instância, sua lucratividade, há muito tempo tem impedido a capacidade dessas empresas de responder rapidamente às mudanças nas demandas dos clientes e a outras pressões do mercado, como a globalização e as mudanças nas regulamentações.

Apesar dessa inércia, a transformação digital é tão importante como sempre foi, pois tanto as empresas quanto os clientes consumidores exigem um maior alinhamento com a tecnologia e com suas necessidades das empresas de serviços financeiros com as quais fazem negócios.

Em outras palavras, a tecnologia que suporta a agilidade dos negócios é um investimento da empresa.

Plataformas corporativas de low-code como a OutSystems são parte essencial desta aposta crítica.

O low-code pode ajudar as organizações de serviços financeiros a equilibrar as necessidades da linha de negócios com os requisitos de conformidade e segurança, ao mesmo tempo em que muda as demandas dos clientes com sistemas de registro inflexíveis.

Conclusão: o low-code pode ser fundamental para avançar rapidamente em um ambiente de negócios que sempre esperou estabilidade e permanência de suas instituições de serviços financeiros.

Copyright © Intellyx LLC. A OutSystems é um cliente da Intellyx. A Intellyx mantém o controle editorial final deste artigo.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato!

_________________________________________________________________________________

A Prox é uma Consultoria de TI Independente, parceira e cliente da Outsystems.

Leia o artigo original no blog da Outsystems.

Gostou? Compartilhe com mais pessoas

Renato Souza

CEO e Diretor Comercial da Prox

Renato é Diretor Comercial da Prox desde 2010. Está sempre pensando no desenvolvimento estratégico da empresa, em novas parcerias e na prospecção de novos clientes. Apaixonado pelo seu trabalho, ele tem como missão facilitar a vida das pessoas e empresas com gestão e tecnologia.

Especialistas em Protheus

BlogTotvs Protheus

TI e departamentos juntos pela melhoria – e como especialistas em Protheus podem ajudar 

treinamento Totvs Protheus

BlogTotvs Protheus

Superando o turnover com especialistas em treinamento Totvs Protheus 

Empreendedorismo

Composable ERP: reinvente suas estratégias

Empreendedorismo

Arquitetura corporativa: colocando as necessidades dos clientes em primeiro plano

Transformação digital

O que você pode construir com low-code?

São 10 anos de experiência e muito aprendizado.

Confira essa seleção de documentos que certamente te ajudarão.

Av. Professor Manoel José Pedroso, 1652 - SL. 08 - CEP 06717-100 - Pq. Bahia - Cotia/SP | Tel.: (11) 5844-8444

© 2024 - Prox - Todos os direitos reservados

RM, Protheus, Fluig e TOTVS® são produtos e marcas registradas de propriedade da TOTVS®. Logotipos TOTVS® e Microssiga são de propriedade TOTVS® S.A. A Prox Implantação de Sistemas Ltda é uma empresa de transformação digital independente e não possui nenhum vínculo, direto ou indireto, com a TOTVS®, qualquer uma das suas franquias ou qualquer um de seus representantes.